Banner

Home > noticias > braskem revê previsão para demanda de resinas

Notícias

Braskem revê previsão para demanda de resinas


Diante do crescimento de 15% na demanda estimada de resinas termoplásticas no país, no primeiro semestre, a Braskem elevou suas projeções para o desempenho em todo o ano. Inicialmente, a petroquímica estimava expansão de 5% em 2013 e, agora, vê margem para alta de 7% a 8%. Segundo o presidente da Braskem, Carlos Fadigas, após dois anos de estabilidade ou crescimento modesto no setor, a companhia adotou postura conservadora no início de 2013. "Agora, tudo indica que se caminha para 7% a 8% de crescimento", disse.

De janeiro a junho, a Braskem vendeu 1,9 milhão de toneladas de resinas, com alta de 14% na comparação anual. Para Fadigas, ainda não é possível saber quanto dessa expansão corresponde à recomposição de estoques na cadeia de produção, uma vez que clientes anteciparam compras diante do aumento dos preços no mercado internacional e do câmbio. Para este semestre, a expectativa é a desaceleração no ritmo das compras, devido ao consumo desses estoques.

O executivo afirmou ainda que os preços das resinas termoplásticas estão evoluindo no país, na esteira do movimento das cotações no mercado internacional. "Há uma evolução de preços, como está acontecendo lá fora", afirmou, sem entrar em detalhes.

Maior petroquímica das Américas, a Braskem reduziu em 87,6% o prejuízo líquido do segundo trimestre, na comparação anual, para R$ 128 milhões. No acumulado do ano, obteve lucro líquido de R$ 99 milhões, ante resultado final negativo de R$ 881 milhões um ano antes. O prejuízo no trimestre "é explicado, principalmente, pelo impacto negativo de R$ 666 milhões do resultado financeiro".

Já a forte melhora na comparação anual deve-se à adoção da contabilidade de hedge a partir de maio, com o objetivo "de melhor refletir os efeitos de variações cambiais no resultado". Sem a adoção dessa prática, a empresa teria registrado prejuízo trimestral de R$ 1,08 bilhão e perda líquida de R$ 855 milhões no acumulado dos seis meses do ano.

A receita líquida da petroquímica totalizou R$ 9,53 bilhões, alta de 6,4% frente ao mesmo período do ano passado, e o resultado antes e juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou em R$ 1,02 bilhão, avanço de 16,6%.

No semestre, a receita líquida da Braskem somou R$ 18,82 bilhões (maior 11%), e o Ebitda, R$ 1,95 bilhão, com alta de 19%.

FONTE: VALOR ECONÔMICO - EMPRESAS - SÃO PAULO - SP - 09/08/2013 - Pág. B6




  • NeoPlastic

  • Central de Vendas: +55(11) 4443.1000
  • Av Pacaembu, 485 - Franco da Rocha - SP

©2018 Neo Plastic. Todos os direitos reservados. Criação de Sites - C3dweb Agência Digital